blogINDIE 2006


Recap Fest 16/05

>> Toma! To-toma! Revoltados com a comercialização do Festival de Veneza (conseqüência das aspirações dos diretores em competir com Cannes), um grupo de cinéfilos e profissionais italianos inaugurou ano passado o Festival Internacional de Cinema de Roma, que privilegiaria o cinema de autor, em retaliação ao cinema hollywoodiano que assolava sua contraparte. Injuriado, foi assim que o diretor artístico de Veneza, Marco Muller, respondeu ao ser bombardeado por questões sobre o Festival de Roma durante a coletiva em seu próprio evento:

"O Festival de Roma só passará filmes que foram rejeitados pelo Festival de Veneza." (leia mais aqui)

O que deu mais briga, xingamento e pontapé do que um teste de DNA do Ratinho. Os diretores de Roma, fumegando de raiva por causa da declaração, disseram que Muller desdenhava dos artistas que comporiam o seu line-up, Veneza chamou Roma de um festival recalcado, et cetera. 2006 passou sem que o Festival de Roma fizesse muito barulho.

Isso até que semana passada, Francis Ford Coppola anunciou que o seu aguardado Youth Without Youth teria sua première mundial aonde? Num tal Festival de Roma 2007 (que rola em outubro). Na cara do Marco Muller!

Aí, das duas uma: pode ser aquela enfiada ardida no sentador do Festival de Veneza, que está literalmente afundando, mas ainda propicia grandes descobertas como foi o caso do Still Life ano passado, aliás, esse filme de Jia Zhang-Ke rejeitado em Cannes no mesmo ano. Ou então pode ser o Festival de Roma vendendo sua alma pro capeta e, surpresa!, se comercializando para se firmar frente o inimigo veneziano. Aí discutam entre si se Coppola é comercial ou não (conhecido, isso ele é sem dúvida), porque é o cara que anda com Pacino em Manhattan e Guilherme Fontes na Ilha de Caras, o cara que fez O Fundo do Coração e Jack.

>> Já não era sem tempo! Imagine um diretor que tem que agüentar um Heart of Darkness toda vez que liga as câmeras. Pois Richard Stanley (dos clássicos cults Hardware e Dust Devil - O Colecionador de Almas), que já capotou carro, se perdeu no deserto, foi demitido e se infiltrou de volta no set fantasiado de macaco mutante e quase teve seu diretor de fotografia assassinado por tiro na África, não se faz de rogado e está de volta com dois super-projetos:

O primeiro chama-se Vacation e seria sobre um homem de negócios que insiste em reflorestar o Oriente Médio após um evento apocalíptico. Para o papel principal, segundo o site Film Ick, o astro Bruce Campbell (!) está acertando sua presença e as conversas parecem avançadas.

O segundo já está pronto e pode ser visto online: Sea of Perdition é um curta que faz parte do projeto IBM 1401 - A User's Manual, omnibus de cinco diretores inspirados pela 5a. peça do novo álbum do compositor islandês Johann Johannsson (primo dos americanos John Johnson e Thom Thompson aparentemente). Não apenas esse curta como vários outros de Stanley, alguns realizados recentemente (como The Black Tulips), estão disponíveis online. Para ver clique no site do diretor. IBM 1401 - A User's Manual será exibido no Festival de Cine Fantástico de Sitges ainda este ano.

>> Aliás, Bruce Campbell estreará seu filme My Name Is Bruce, uma comédia dirigida e estrelada por ele, a la Quero Ser John Malkovich no próximo CineVegas, que acontece em junho. O filme será exibido ainda em sua forma incompleta. Auto-declarado o festival de cinema mais risqué dos EUA, a programação de 2007 do CineVegas me pareceu caidinha que só. Até eles estão abrindo as pernas para 13 Homens e Um Segredo que tem a obrigação de ser o melhor filme das duas últimas décadas, apenas para justificar uma continuação após o seu terrível antecessor.

>> FIQUE DE OLHO NO SEU PUFE: O maior sucesso da semana na Internet é a descoberta de Pretty Ricky - Late Night Special, onde adolescentes egocêntricos (redundância?) violentam o pobre pufe da sala de todas as maneiras imagináveis, num intenso e altamente homoerótico gangbang, em que os indivíduos se alternam entre fazer sexo sem concessão com o pobre móvel e se seduzirem com seus movimentos peristálticos frente ao espelho. Você nunca mais vai olhar para a sua mobília do mesmo modo novamente. Veja o vídeo aqui, mas assegure-se de ter aguarrás para limpar seus olhos por perto. Tem uma variação do ato também, chamado "Pretty Ricky - Lingerie". A quem o pobre pufe vai recorrer?

>> Como eu vou ligar Pretty Ricky aos Mumblecorers? Fácil: em menos de uma semana Kent Osborne (uma das vozes no desenho Bob Esponja e ator de Hannah Takes The Stairs) e Todd Rohal (diretor de The Guatemalan Handshake e também ator no filme de Joe Swanberg) encarnam Peer Pressure e te ensinam como blogar.

>> Já que estou pulando a ordem das coisas hoje, mais vídeo: era uma vez um garoto gay chamado Shannon que um dia encontrou uma lâmpada mágica. O gênio lhe concedeu três desejos: o primeiro foi um casaco de pele, o segundo foi um carro voador. O terceiro... deu início à série de desenhos animados mais fantástica de todos os tempos: Planet Unicorn! Veja aqui os dois primeiros episódios.

>> Mas já que num tem tu, vai tu mêrmo, a vingança: marque outra data ainda melhor. 14 de agosto. Esse é o dia em que INLAND EMPIRE de David Lynch sairá em DVD Área 1 (EUA e Canadá) pela Rhino Entertainment (que lançam as ótimas boxsets do MST3K). Alguns dos extras são: "Talks with David Lynch and Laura Dern: More things that happened (additional character experiences)", "David Lynch cooks Quinoa" (ou seja, Lynch fazendo arroz...) e um trecho do documentário LYNCH. Esse documentário, realizado por um diretor que responde apenas por "blaCkANDwhite" é fruto de mais de 700 horas de gravação do método de Lynch durante as filmagens de INLAND EMPIRE, que se alongaram por dois anos e meio - Lynch e seu realizador estarão na Croisette a procura de distribuidores internacionais.

>> Entra-e-sai: após sair/ser expulso do set de The Battle of Red Cliff, novo longa de John Woo, por não ter tido tempo de se preparar para o papel/agir feito uma diva no set, Chow Yun Fat agora quer retornar ao filme! Ainda não foi assinado nenhum contrato, mas Yun Fat retornaria para o papel do General Huang Gai e sua (única) cena seria filmada em apenas três dias. De papel principal para uma ponta... isso é que eu chamo de guinada na carreira.

>> Programação da TV5 para este Festival de Cannes: a cerimônia de abertura foi transmitida hoje à tarde, mas quem quiser ver como termina a novela é só ligar no canal dia 27, às 19h55. Todo ano, o canal exibe uma programação pra lá de especial, que vale a pena dar uma espiadela (foi no canal que pude ver o raro As Criaturas de Agnès Varda numa retrospectiva especial durante o festival) Os selecionados seguem abaixo:

La Raison du Plus Faible, de Lucas Belveaux (2006): competiu em Cannes ano passado, é pra lá de inédito por aqui, já que nem para os Festivais o filme veio. Elogiado na Cahiers e na Première, esse é o indispensável: dia 21 às 21h30 e dia 30 às 13h30.

Ça brûle, de Claire Simon (2006): conto sobre o despertar da sexualidade de uma adolescente numa cidade de veraneio. Parece que tem uma coisa meio experimental, passou na Quinzena dos Realizadores em Cannes do ano passado. dia 8 de junho às 18h e às 3h30 da madruga, e16 de junho às 23h.

Pintar ou Fazer Amor, de Arnaud e Jean-Marrie Larieu (2005): exibido nos cinemas nacionais ano passado, é uma história de troca-troca entre casais franceses, seja de fluídos ou de verbatim. Passa no dia 25 às 3h30, 2 de junho às 23h e 13 de junho às 4h25 da madruga.

Obras... a gente sabe quando começam, de Brigitte Roüan (2005): figurinha fácil nas mostras itinerantes de cinema francês, a versão sacré-bleu de "Um dia a casa cai" foi um sucesso em seu país de origem. Desaba no dia 18 às 21h30 e 20 às 13h25.

L'autre cote de la mer, de Domique Cabrera (1997): sobre a amizade que surge entre dois argelinos (o dono de um pequeno negócio de azeitonas em conserva e seu jovem cirurgião) que se encontram na França. Passa no dia 17 às 20h30 e 25 às 18h.

La Dentelliere,de Claude Goretta (1976): duas cabelereiras - uma bela e atirada, a outra tímida e caladona - passam um feriado juntas. A gostosona encontra logo um com quem se arranjar e larga a pobre da amiga sozinha. A cabelereira tímida encontra François, que se dispõe a acomapnhá-la, mas com um objetivo que homem que é homem sabe muito bem, porque macho não empresta ouvido à madame assim de graça, não. Promete ser a descoberta, mas vamo vê. Passa num monte de dias, ó: dia 20 às 20h30, 28 às 23h, 6 de junho às 18h15 e 9 de junho às 3h30 da matina

Paris, vu par... por vários (1965): considerado um grande trabalho de colaboração artística, o filme em episódios produzido por Barbet Schroeder foi realizado na época em que os membros da nouvelle vague estavam mais afiados. Veja como eram novinhos Rohmer, Chabrol, Rouch, Pollet e Godard nessa exibição rara. Passa nesse sábado 19 às 23h, então faça que nem carioca e chegue na boate só mais tarde.

>> Comentário de Noel Murray sobre o Festival de Cannes no site The AV Club:

"Se eu tenho uma reclamação sobre o tom das coberturas de Cannes nos últimos anos é que a maioria das pessoas que o freqüentam tempo o bastante para serem credenciadas tendem a se tornarem indiferentes, dividindo-se em duas tribos. De um lado, você tem os tipos hardcore, ansiosos por austeridade. Eles estão procurando pelos filmes difíceis - filmes que enlouquecem críticos popularescos (nota: ou pseudointelectuais) como Todd McCarthy da Variety ou Jeffrey Wells da Hollywood Elsewhere. Do outro lado você tem Wells, McCarthy, Anne Thompson e outros, que não desejariam outra coisa senão encontrar outro Babel durante esse período. E sentados em casa estão um bando de caras como eu, que gostam de filmes que variam do comercial abobalhado ao agravantemente abstrato, e gostam de observar Cannes de longe."

Lindo. Sem contar que Cannes é uma insituição privada com poucas sessões realmente públicas e os restaurantes da região abusam do desconhecimento dos turistas sobre a questão da gorjeta (os 15% já embutidos no preço do prato, mas cobrados avulsos nas contas dos não-franceses de qualquer jeito)

>> Não se enganem, o Festival de Cannes já está rolando desde segunda-feira (quarta-feira é só a perucagem de abertura) e as reações frente ao esperadíssimo My Blueberry Nights já estão no ar. Uma pequena amostragem:

"Co-roteirizado por Wong com o escritor de policiais Lawrence Block, Blueberry é essencialmente um road movie,e aí é que está o problema. [...] O filme não poderia, a seu próprio modo, ser mais Hollywood... Dito isso, Blueberry é, previsivelmente, de uma maestria visual e beleza de provocar suspiros. O filme funciona melhor como vídeoarte do mais alto grau; eu queria congelar imagens e mal posso esperar para vê-lo de novo." Erika Abeel, na revista online Filmmaker

"Provavelmente, somente Wong Kar Wai poderia dirigir um road movie americano que se passa em interiores na maioria do tempo - em cafés e bares, casas de honky-tonky e cassinos. Durante isso tudo, os visuais são sedutores, mas o diálogo em inglês de WKW e Lawrence Block é sem sal... Na primeira cabine de imprensa, alguns fãs tentaram gerar alguns aplausos, mas a sala de exibição permaneceu em silêncio." Gregg Kilday

"Nada realmente profundo é descoberto, nem este filome marca uma revolução na carreira de Wong Kar Wai, apesar da mudança na linguagem e de cenário. Este filme cool e cerebral poderia ser um grande sucesso no circuito de arte. Mas..." Kirk Honeycutt

"[Norah Jones não canta no filme] A voz na qual todos pensarão após o término do filme é a de Chan Marshall, a talentosa cantora e compositora da Georgia que encabeça a banda Cat Power e a Memphis Rhythm Band." Ray Bennett

"Acima de tudo, é um pouco 'WKW para inciantes' demais - tal sumário conciso e acessível de seus métodos e temas dá a impressão de um trabalho preguiçoso no máximo, oportunista no mínimo. Por algum tempo, a pura sensualidade do foco doce das imagens de Wong e Khondji mantém todas as objeções à distância; Passei a maior parte da meia hora inicial ignorando o diálogo truncado e me concentrando nas estonteantes cores e texturas. (Vídeo está ficando menos e menos feio, mas nunca conseguirá ter esse aspect.) Eventualmente, o espectador não consegue evitar de pensar que Blueberry Noghts não consegue ser mais do que as sobras requentadas de Wong." Mike D'Angelo para ScreenGrab.

>> Aliás, a equipe do seriado Entourage está em Cannes para gravar um episódio da deliciosa série. Será que tem a ver com a première mundial de Medellin, cinebio de Juan Pablo Escobar estrelado por ninguém menos do que Vincent Chase?

>> Novo trailer de novo filme de Takashi Miike: não basta que ainda temos que ver Big Bang Love - Juvenile A, que ele precisa ainda estrear Yakuza e terminar o super esperado Sukiyaki Western: Django, Miike mostra voltar à boa forma, e estamos nos referindo à forma física: este é o 3° filme Miike-ano em 2007 e ainda estamos em maio! No site oficial de Crows Zero, há um novo teaser para o longa-metragem de Miike. E quando você terminar de assisti-lo, ele já terá terminado mais outros dois filmes. Clique-me.

>> Aliás, quem é que sabia que Stranglehold, o jogo de John Woo para PS3, é baseado em Hard Boiled (ou Fervura Máxima, se preferir?) E eu que nem zerei God of War 2 ainda... (tô na ladeira em que se enfrenta todos os inimigos... tô perto, não?)
  Bernardo Krivochein    quarta-feira, maio 16, 2007
 
 
[^] ir para o topo
INDIE :: Mostra de Cinema Mundial

Zeta Filmes | INDIE FESTIVAL | 
::: visite o web-site do indie 2006
     + Zeta Filmes
     + Indie - Mostra de Cinema Mundial
     + Fluxus
     + New Directors New Films
     + Plexifilm
     + IndieWIRE
     + Le Cube
     + Jonas Mekas
     + Miranda July
     + Cao Guimarães
     + Moira Hahn
     + Roberto Bellini
     + Gisela Motta&Leandro Lima
     + Howie Tsui
     + Motomichi
     + CarlosMagno Rodrigues
     + Ain´t It Cool News
     + Midnight Eye
     + Twitch Film
     + Blog Ilustrada no Cinema
     + Kofic
     + Anthony Kaufman´s Blog
     + Sundance Film Fest
     + Centre Pompidou
     + Pocket Film Festival
     + Blog do Itaulab
     + Rotterdam Film Festival
     + MovieMobz
     + Cinemateca Francesa
     + Unifrance
     + Fundação Japão
::: edições anteriores
     + 2006
::: últimos posts
+ Faça o último videoclipe da Björk Esta onda de ab...
+ Recap Fest 10/5 >> Se você estivesse andando pela...
+ "Experiências da Imagem" coloca juntos, em foco, C...
+ Pequeno Manual Para Fazer Festivais Numa Cidade Mo...
+ Recap Fest 2/5 >> Mais títulos asiáticos aparecer...
+  Back to seventies 1 Comecei a gostar de cinema p...
+ Tribeca Film Festival: meio margherita, meio calab...
+ Desempacotando meu "Encaixotando"* ... put your...
+ CANNES 2007: Tarr! Van Sant! Akin! Karuse! Chang-d...
+ Miranda July e seu mundo cor de rosa cheio de borr...
::: arquivos
 
    Este blog é escrito por:
     + Daniella Azzi
     + Francesca Azzi
     + Fale Conosco